top of page

Ex-ministro de Bolsonaro diz que irá se entregar após ter prisão decretada por Alexandre

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes decretou nesta terça-feira a prisão do ex-ministro da Justiça do Governo Bolsonaro e ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres, após as falhas de segurança que permitiram os ataques às sedes dos Três Poderes no último domingo (08), disse uma fonte com conhecimento da decisão.


Ainda não havia detalhes sobre o cumprimento da ordem de prisão contra Torres, que viajou para Orlando, nos EUA, antes dos ataques realizados por bolsonaristas radicais contra o Palácio do Planalto, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional. Os vândalos pediam um golpe contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


Oito policiais federais estiveram na tarde desta terça na casa do ex-ministro em um condomínio no bairro Lago Sul, área nobre de Brasília. Em dois carros descaracterizados, mas vestindo fardamento da PF. Eles levaram uma maleta.


Torres, que é delegado da PF, fora nomeado secretário de Segurança Pública do DF em 1º de janeiro, após deixar o comando do Ministério da Justiça com o fim do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro. A Reuters tentou contato com Torres, mas não conseguiu resposta.


Ele foi nomeado pelo governador Ibaneis Rocha que, no entanto, decidiu demiti-lo do cargo após a grave falha na segurança pública no domingo que resultou na invasão e depredação dos edifícios-sede dos Três Poderes. Posteriormente, Ibaneis foi afastado temporariamente do cargo por 90 dias também por ordem de Moraes. A vice, assumiu o lugar dele.


Na quarta-feira (11), em julgamento pelo plenário virtual, os demais ministros vão decidir se confirmam ou derrubam a decisão de Moraes que afastou Ibaneis.


Moraes também decretou a prisão do ex-comandante-geral da Polícia Militar do DF Fábio Augusto Vieira, disse a fonte, acrescentando que o ex-comandante estava sendo levado para um local de custódia da PM.


Vieira era um dos principais responsáveis pela frustrada operação das forças de segurança pública na capital do país no domingo, uma vez que cabe à Polícia Militar do DF fazer a segurança dos prédios públicos em Brasília.


O ex-comandante da PM-DF já tinha sido exonerado do cargo por ordem do interventor federal na área de segurança pública do DF, Ricardo Capelli.


Nesta terça (10), a vice-procuradora-geral da República, Lindôra Araújo, pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a abertura de um inquérito criminal contra Ibaneis, Torres, Vieira e o ex-secretário de segurança interino do DF Fernando de Souza Oliveira por crimes no episódio da invasão dos Três Poderes.



Reuters


0 visualização0 comentário
bottom of page