top of page

Francisco Limma destaca assinatura de termo de cooperação técnica

Usa

ndo a tribuna na sessão desta quarta-feira (27), o deputado Francisco Limma (PT) parabenizou o Governador Wellington Dias pela entrega do prédio anexo da secretaria de Estado do Planejamento e pela assinatura do Acordo de Cooperação Técnica com o Instituto Floravida para a execução do Projeto Jaborandi.


“Acompanhei, na manhã de hoje, a agenda do Governador na Secretaria de Planejamento, ao lado do deputado Zé Santana, e lá tivermos dois feitos importantes. Primeiro, a entrega das novas instalações que abrigarão da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais (CEPRO), a Superintendência de Gestão de Projetos (Suepro­) e outros setores, além do auditório. Ali foram homenageados o ex-secretário do Planejamento, Antonio Neto, e o ex-presidente da Fundação Cepro, Antonio José Medeiros, que iniciaram o processo para reforma e construção no novo edifício”, iniciou o deputado Francisco Limma.


“E o segundo feito, foi a assinatura do Termo de Parceria e Cooperação Técnica entre o Governo do Estado, envolvendo vários órgãos, e a Instituto Floravida para a execução do Projeto Jaborandi, o objetivo de desenvolver, fortalecer e regularizar a cadeia de valor de coleta de folhas do jaborandi no Piauí, especificamente nos Territórios dos Cocais e Entre Rios, trazendo benefícios às comunidades envolvidas e promovendo ações de preservação e educação ambiental”, disse.


Segundo o deputado Francisco Limma, é das folhas do Jaborandi, ou arruda como é mais conhecido, que é extraída a substancia Pilocarpina, usada na produção de colírios para tratamento do glaucoma. Ainda segudo o parlamentar, o consumo da substância é em torno de 5 toneladas no mundo, e a produção do Piauí chega a aproximadamente 3 toneladas.


“Essa substancia é extraída por uma empresa do Instituto Floravida lá em Parnaíba e dali, é exportando para o mundo inteiro. Porém, essa planta tem um alto nível de intermediação. Então essa parceria entre o Governo do Estado e o Instituto Floravida vai permitir que a empresa privada adquira o produto, a folha do jaborandi, diretamente dos produtores. Isso permite os custos de intermediação. Então melhora para quem colhe a folha e certamente melhora para a empresa. O projeto proporcionará geração de renda e organização de comunidades com folheiros nos dois territórios e estimulará a formação de associações e cooperativas e a implementação de sistema agroflorestal, de modo a aumentar a produção e melhorar a renda”, explicou Francisco Limma, ao parabenizar o Governo do Estado pela assinatura do Termo.


O projeto prevê elaboração de diagnóstico, execução de planos de manejo, capacitações para práticas sustentáveis de coleta das folhas, visando reduzir o impacto ambiental da atividade.

0 visualização0 comentário
bottom of page