top of page

Piauí deve menos de 10% do PIB, enquanto que o Governo Federal deve 100%, afirma Rafael Fonteles


O secretário de estado da Fazenda e coordenador do PRO Piauí, Rafael Fonteles (PT), concedeu entrevista nesta segunda-feira, (08), ao Jogo do Poder, da Rede Meio Norte de Televisão, onde anunciou a assinatura de dois contratos com duas instituições bancárias no valor de quase R$ 700 milhões.


As operações envolvem R$ 600 milhões do banco Itaú e R$ 97 milhões do Banco de Brasília. Assim, o petista aproveitou para explicar que o endividamento do Piauí está no menor patamar da sua história e não será impactado pelos financiamentos, que de acordo com ele são 'naturais e necessários'.


"De fato são duas notícias importantes, pois completam a carteira de investimentos em infraestrutura do PRO Piauí, então agora estão 100% assegurados todo o planejamento de infraestrutura que foram pactuados no PRO Piauí, além desses recursos temos mais de R$ 1 bilhão próprios do Tesouro Estadual, então são mais de R$ 2 bilhões em investimentos, em obras de infraestrutura nos 224 municípios do Piauí".


Para dar embasamento, Fonteles explicitou que o Governo Federal, por exemplo, deve um montante similar a 100% do seu PIB; enquanto no Piauí o índice é inferior a 10%, o que segundo ele, é a prova cabal de uma gestão equilibrada. "O que o estado do Piauí paga de financiamentos a cada ano, é menor do que ele contrai de dívida, por isso o endividamento sempre está caindo. A nível de comparação, o Brasil em âmbito federal deve quase 100% do PIB Nacional, já o Piauí deve menos de 10% do PIB do Estado", disse o gestor.

0 visualização0 comentário
bottom of page